Ele surgiu aos 16 anos como 'sósia de Ronaldinho' e quase foi para o Corinthians; hoje, procura clube após nova dispensa

celsinho 080420Era 2005 quando Ronaldinho Gaúcho superava Frank Lampard e Samuel Eto'o para ser eleito o melhor jogador do mundo pela segunda temporada consecutiva.

O craque encantava o mundo a cada jogo quando exibia toda a sua genialidade dentro de campo e era, naquele momento, uma unanimidade. Longe dos gramados do Camp Nou, naquele mesmo 2005, surgia na Portuguesa um jovem jogador.

Era Celsinho, um meia-atacante de apenas 16 anos. Rápido e habilidoso, logo ganhou o status de promessa no clube do Canindé. Mas nada disso chamava tanto a atenção quanto um detalhe que ia além das características com a bola no pé: sua vasta cabeleira. Não demorou para que alguém notasse certa semelhança com o visual já bastante famoso do camisa 10 do Barcelona e seleção brasileira.

Foi assim que o garoto deixou de ser apenas Celsinho. Daquele momento em diante, ele seria lembrado também como o "sósia do Ronaldinho".

Hoje, uma década e meia desde a sua estreia como profissonal, Celsinho ainda convive com a sombra do gênio. As comparações, a cada clube que ele veste a camisa, são inevitáveis.

"Para mim, nunca atrapalhou, nunca foi um incômodo", disse em entrevista ao ESPN.com.br."Mas muitos torcedores acabavam confundindo. Eles achavam que, pelo fato de me compararem fisicamente, eu teria que jogar da mesma maneira. E isso é impossível, não tem como se comparar a Ronaldinho Gaúcho. Muitas pessoas acabavam confundindo nesse lado."

O curioso é que o cabelo comprido, marca registrada de Celsinho, não surgiu por conta craque famoso. Mas, sim, em uma brincadeira de amigos na cidade de Americana, interior de São Paulo.

"Essa comparação veio de maneira inesperada. O motivo real de eu deixar o cabelo crescer nunca foi por causa do Ronaldinho. Tenho amigos de Americana e nós resolvemos deixar o cabelo crescer", explicou.

"Mas justamente nessa época foi quando eu subi para o profissional da Portuguesa e fui convocado para a seleção de base. E nesse ano o Ronaldinho tava voando, uma evidência absurda... aí começaram essas comparações."

Coincidência ou não, as atuações de Celsinho acabaram por despertar interesse de outros clubes. Assim, ele ainda cedo trocou o Canindé pela Europa.

O sonho no Velho Continente começou em 2006 na Rússia, onde ele vestiu a camisa do Lokomotiv. No ano seguinte, trocou Moscou por Portugal para defender o Sporting de Lisboa. Por muito pouco, porém, o "sósia do Ronaldinho" não regressou ao Brasil para vestir a camisa do Corinthians.

"Recebi uma proposta do Corinthias pra que voltasse para um ano de empréstimo. O Corinthians ia jogar a Série B... andou super bem (a negociação), mas nesse meio tempo o Sporting veio com uma proposta. Cinco anos de contrato, não tive como recusar", contou Celsinho.

"Na hora conversamos (com o Corinthians) como se já estivesse tudo certo, como se o caminho fosse esse. Acabou pesando muito o tempo de contrato (oferecido pelo Sporting) e o cenário Europeu."

Na capital portuguesa, porém, Celsinho não teve vida fácil. As constantes comparações com Ronaldinho não ajudavam. Além disso, chegou ao clube para substituir ninguém menos que Nani, que havia recentemente se transferido para o Manchester United.

Somou-se a tudo isso algumas polêmicas pela vida extracampo do jogador.

"Eu estava em um dos maiores clubes do país e tudo que o Celsinho fazia virava notícia. Nunca cheguei a extrapolar. Tive alguns deslizes de sair, ir para a noite... mas a repercussão lá é muito grande. Isso acabou gerando uma distração muito grande, que as pessoas falavam que meu rendimento acabou não sendo (o esperado) por conta das noitadas", destacou o meia, que no período de contrato com o Sporting ainda acabou emprestado em um rápido retorno à Portuguesa e, em seguida, para o futebol da Romênia.

"A repercussão foi muito grande quando eu cheguei por conta dessa comparação (com o Ronaldinho). Era uma enxurrada de informações que eles pegaram e acabaram transformando em algo negativo."
Sósia de R10 teve sequência de dispensas no Brasil e agora procura clube

A passagem de Celsinho pela Europa teve fim em 2013, ano em que Ronaldinho trocava o Flamengo pelo Atlético-MG e se tornaria campeão da Copa Libertadores.

O destino do sósia foi o Londrina. Chegou com status e apresentação digna de R10: com um helicóptero pousando no gramado do Estádio do Café.

"O Londrina queria uma contratação para mexer com a cidade, chamar o torcedor... Aí acabaram optando por essa apresentação (de helicóptero)", relembrou o jogador.

"Lá foi onde eu tive uma sequência de vitórias e títulos. Todas as conquistas que tive ali foram atuando, dentro de campo", acrescentou.

No clube paranaense, passou, entre idas e vindas, cinco anos. Lá, conquistou o Campeonato Paranaense de 2014 e a Primeira Liga de 2017. A passagem, no entanto, também contou com outras semelhanças que ele carregava do "xará" famoso - as polêmicas.

Umas delas foi em 2015, quando discutiu com o presidente Sérgio Malucelli no vestiário após uma partida e quase deixou o clube. A dispensa, porém, viria dois anos depois.

Desde o fim da passagem pelo Londrina, Celsinho vestiu as camisas de São Bento (2018), Água Santa (2019), Santa Cruz (2019) e, neste ano, Vila Nova - ele foi dispensado em março depois de atuações apagadas. Em cada um dos clubes, conviveu sempre com as mesmas comparações que o marcaram durante a carreira.

Carreira que, no que depender de Celsinho, ainda está longe do fim.

"Penso em jogar mais uns seis ou sete anos, se tiver em condições. Minha cabeça ainda é totalmente voltada para o futebol. A única coisa que passa pela cabeça é retribuir esse amor que eu tenho pelo futebol, nos clubes que eu vier a aceitar e fechar os contratos."

fonte: espn.com.br