Ex-Palmeiras revela como foi jogar na China no meio da epidemia de coronavírus: 'Estádio vazio e medidor de febre no hotel'

bueno 290120A epidemia de coronavírus que atinge a China mudou a rotina da população local, incluindo o futebol.

Ricardo Bueno, ex-atacante de Palmeiras e Atlético-MG, viajou nesta semana até Xangai para uma partida pela Champions League Asiática e viu estádios vazios, pessoas com máscaras nas ruas e aeroportos com medidas de seguranças.

O jogador de 32 anos esteve em campo nesta terça-feira na derrota de sua equipe para o Shanghai Shenhua (time de Hulk e Oscar) por 3 a 0.

Direto do aeroporto de Xangai, na China, o atacante do Buriram United-TAI, contou ao ESPN.com.br como foram os últimos dias no país que tem cerca de dois mil infectados pelos vírus, que causou 80 mortes.

Veja a entrevista com Ricardo Bueno:

Fale sobre a viagem para a China. Ficaram assustados com o corona vírus?
Sim, nos assustamos com certeza. É um vírus que infelizmente tem matado muita gente. Outras pessoas estão muito mal, mas não tínhamos outra saída né? A data do jogo já estava marcada e não tinha muito o que fazer a não ser viajar e tentar se prevenir ao máximo pra não ser infectado!

Como estão os cuidados aí?
Nos aeroportos em toda Ásia estão tomando muito cuidado. Todas as pessoas com máscaras, álcool em gel pra manter as mãos sempre limpas e sem bactérias, entre outras coisas. Isso é mais do que necessário

Quais outras medidas você viu?
Quando chegamos ao hotel na China, antes de entrarmos, os chineses estavam com um aparelho medidor de febre na porta do hotel. Eles mediam a febre de um por um. Então, estão tendo muito cuidado e trabalho para que não se estenda para o restante do mundo esse vírus!

Deu para ver algo diferente na população chinesa?
A população na verdade está bem assustada e com medo. Tanto que a cidade de Xangai está bem parada e com poucas pessoas nas ruas. O estádio não tinha quase ninguém no jogo devido a precaução de todos.

Conversou com os brasileiros?
Com os brasileiros conversei com um pouco com o Hulk e o Oscar, mas falamos mais em relação ao jog. Não tivemos muito tempo também.

Como surgiu a Tailândia na tua vida?
A Tailândia surgiu no final do ano passado logo após o Campeonato Brasileiro. Depois do interesse nos acertamos muito rápido e logo viajei em dezembro mesmo.

Fale sobre o seu atual momento e do Buriram...
O momento aqui é muito bom, apesar de termos perdido o jogo da Champions de hoje para o Shanghai. Estamos no caminho certo de uma preparação pra sequência do ano. Em particular estou bem também, fizemos alguns amistosos onde pude praticar bem, com gols e assistência. Fiz gol no primeiro jogo da Champions contra um time do Vietnã. As coisas vão acontecendo naturalmente!

Como foi a partida desta terça contra o Shangai?
O jogo foi muito difícil porque o Shanghai tem um investimento muito alto e tem jogadores de nível de seleção chinesa e também de seleção brasileira como o Hulk e o Oscar. Até suportamos bem a pressão deles, mas infelizmente tomamos um gol aos 77 minutos e perdemos um pouco o controle. Depois, tomamos mais 2 gols no contra-ataque. Enfim, faz parte do futebol e bola pra frente. Agora é continuar trabalhando para melhorarmos para o restante da temporada.

Fonte: espn.com.br